Home       Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018

BDMG fará seleção de fintechs

Belo Horizonte contará com um hub dedicado às fintechs, startups que utilizam tecnologia de forma intensiva e inovadora para soluções financeiras, e empresas de softwares de gerenciamento.

O Hubble, como é chamada a iniciativa do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) em parceria com a NXTP.Labs, recebe inscrições até 25 de novembro no site www.hubblehub.com.br.

O programa de tração começa em janeiro de 2019, após a seleção de até 15 empreendedores participantes. A novidade confirma o bom desempenho que o setor de jovens empresas de tecnologia tem tido no Brasil, com crescimento de 23% somente no primeiro semestre de 2018, chegando a 453 startups financeiras em operação, como mostra a mais recente edição do Radar FintechLab, publicada em agosto.

O BDMG atua em parceria com instituições para financiar a inovação no setor privado e participa de Fundos de Investimento em Participação (FIPs) que investem em startups. A diretora de Negócios do BDMG, Carolina Duarte, explica que o Hubble é um “passo à frente” para fomentar o ecossistema de inovação em Minas Gerais de uma forma mais abrangente. “Buscamos um modelo que não se sobrepusesse a nenhuma iniciativa já existente no Estado, incentivando a geração de negócios para as startups em fase de tração, aquelas prontas a oferecerem um produto no mercado que possa atender às demandas de empresas já consolidadas”, conta.

Toda a assessoria necessária

As startups que entrarem para o Hubble participarão de mentorias, workshops, palestras, eventos de networking, tudo em um ambiente de troca e, ao mesmo tempo, de conexões com grandes corporações para impulsionar a criação de transações comerciais. Elas também poderão operar no espaço de coworking do hub, que ficará no bairro de Lourdes, na capital mineira.

“No Hubble, a geração de negócios é o grande objetivo, levando as soluções das startups para dentro de parceiros corporativos, o que contribui para o crescimento do ecossistema mineiro”, afirma Eduardo Carvalho, analista de investimento do NXTP.Labs.

O Hubble usará uma metodologia de alcance de resultados que é objeto de estudo na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Essa forma de trabalho engloba identificar os gargalos que estão freando o desenvolvimento da startup, com foco em marketing e vendas, retenção de clientes e desenvolvimento de produto e liderança, para gerar crescimento exponencial.

Celeiro tecnológico e de inovação

Sede do segundo maior polo de startups do Brasil, atrás apenas de São Paulo, é em Belo Horizonte que está localizado o San Pedro Valley, comunidade que reúne mais de 300 jovens empresas de tecnologias diversas. “É um campo forte, com a presença de empreendedores de todo o país. Além disso, as pessoas que saem das universidades são bem preparadas e abraçam o San Pedro Valley e a cultura de inovação. Isso torna o ecossistema extremamente positivo e viável para se criar um hub de inovação como o Hubble”, finaliza Carvalho.

Fonte: BDMG via BHAZ