Home       Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018

Apps de fintechs para ter no smartphone Android ou iPhone

Fintechs são empresas que buscam uma abordagem tecnológica para lidarmos com os sistemas financeiros.  Por isso, há diversos segmentos de atuação, como investimentos, pagamentos, gestão financeira, cashback e empréstimos. 

Como o nome fintech está moda, empresas tradicionais também se promovem como fintechs, apesar de terem raízes offline. No programa de hoje você verá algumas fintechs interessantes que têm apps para você ter o controle das finanças sempre nas pontas dos dedos.

Começando pelo setor de pagamentos, alguns destaques são o RecargaPay e o PicPay.

Essas empresas oferecem aplicativos com funções similares.

Eles funcionam como carteiras virtuais online e podem ser usadas para pagar contas, recarregar cartões de transporte, comprar créditos para celular, entre outras coisas.

A ideia deles é oferecer conveniência no pagamento de serviços essenciais da rotina urbana.

Tanto o PicPay Quanto o RecargaPay também podem ser usados para enviar dinheiro para seus amigos que tenham contas nesses serviços.

No caso do PicPay, é possível pagar contas de bares e restaurantes parceiros diretamente do celular.

Social Bank

Com uma solução de carteira digital mais abrangente, o Social Bank é uma empresa vinculada com a Hub Fintech e recebeu investimentos de Carlos Wizard Martins

Além de oferecer pagamentos entre pessoas e serviços, o Social Bank atua em um segmento novo chamado empréstimos peer to peer.

Ele fornece um contrato entre quem empresta e quem precisa de crédito para que você possa investir seu dinheiro emprestando-o a outras pessoas no Brasil.

Comparando bancos a rádio-táxis, a empresa se propõe a ser o Uber do dinheiro.

Não há taxas para o cadastro  de novos usuários no aplicativo nem cobrança de manutenção de conta.

Nubank

No segmento de cartões, o exemplo mais notório é o do Nubank.

Ela é uma empresa de cartões de crédito, mas a tecnologia está na essência do seu atendimento ao cliente.

Seu aplicativo, recentemente renovado, permite realizar rapidamente operações mais complicadas em bancos tradicionais, como aumentar limite ou bloquear o cartão.

O app também oferece adiantamento de pagamento de parcelas de compras e tem uma visão holística dos pagamentos futuro e passados.

Além disso, existe a Nuconta, uma conta digital que pode ser usada para pagar os boletos da vida.

O interessante é que o dinheiro parado na conta rende um pouco dia a dia.

GuiaBolso

Nessa onda de gestão financeira, o GuiaBolso se destaca.

Ele se conecta com a sua conta bancária e tem acesso a um espelho de tudo que acontece nela.

Com isso, tudo é organizado automaticamente e você pode ajustar manualmente categorias de gastos, como seguro, combustível ou transporte.

O modelo de negócio da empresa se apoia sobre empréstimos.

Por isso, há dentro dele o serviço de outra fintech, a Just, que oferece a contratação de crédito rápida via app.

Outra empresa que atua nesse segmento é a Geru.

Meliuz e BeBlue

Fazemos compras todos os dias e alguns trocados podem ficar na mesa nessas transações.

É nesse nicho que se encaixam empresas de cashback, como Meliuz e BeBlue, que devolvem parte do dinheiro das transações como crédito na sua carteira virtual.

A Meliuz tem mais apelo na internet, enquanto a BeBlue é voltada para lojas físicas.

Warren

Se sobrar um dinheiro, pode ser que você não tenha paciência para estudar, pesquisar e escolher os melhores investimentos.

A Warren é uma das empresas que oferecem investimentos geridos por robôs.

Algoritmos da empresa fazem a gestão do seu dinheiro e prometem fazer você lucrar sem fazer nada.

Se preferir escolher você mesmo onde investir, o Yubb é um buscador interessante de investimentos, que tem app para smartphone.

Muitas dessas fintechs seguem os passos de empresas americanas, como a Uber, para crescer.

Além do investimento comum em marketing online, elas oferecem crédito de indicação.

Ou seja, quem se cadastra nos serviços com o seu código de amigo faz com que você ganhe alguns trocados pagos pela própria empresa.

Grandes empresas do setor bancário e de outros segmentos também buscam seus caminhos para ter uma abordagem digital do ponto de partida.

É por isso que vemos companhias como a Next, do Bradesco, e o Banco Original, do Grupo J&F.

No fim das contas, você não terá só um serviço de fintech, mas de um punhado delas.

O saldo no fim das contas é positivo para o consumidor porque esses serviços podem ajudar a poupar tempo e dinheiro.

Fonte: Exame