Home       Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018

Com foco em franquias, Kavod Lending já transacionou R$ 3,9 milhões

Embora tenha sido fundada em outubro de 2016, a fintech de empréstimos coletivos (peer-to-peer lending) Kavod Lending levou dez meses para realizar a sua primeira operação em agosto do ano seguinte.

De lá para cá, a empresa “explodiu”. Selecionada pelo programa Startup Farm Ahead Visa de aceleração e com grande foco em franquias, recebeu aporte de um investidor-anjo (CEO de um banco médio) e até hoje já transacionou mais de R$ 3,9 milhões.

“Considerarmos que, com franquias, o risco é mais baixo para o investidor, já que o negócio é validado e estruturado pela franqueadora, cabendo ao franqueado, entre outras responsabilidades, ser um bom operador. Já realizamos captação de empréstimos coletivos para unidades da Subway, KFC, Sterna Café, Bar do Alemão e também para a Faculdade Paulista de Pesquisa e Ensino Superior”, relata CEO e cofundador Fábio Neufeld.

A solidez e a segurança do negócio são destacadas pelo fato de que a Kavod Lending não trabalha com empresas que estejam com problemas financeiros. “Para viabilizar o negócio, fazemos uma análise técnica de crédito das empresas: olhamos balanço, faturamento, endividamento, principais clientes e fornecedores, entre outros aspectos”, esclarece o executivo.

Na campanha on-line são disponibilizadas informações imprescindíveis para os investidores, como de que forma a empresa usará os recursos, seu saldo em caixa e em aplicações financeiras, por exemplo. Além disso, é dado acesso a um Relatório de Risco da Serasa, considerado um dos mais imparciais no ramo e referência no mercado. O retorno do investimento é em taxas pré-fixadas a partir de 1,10% ao mês.

Com esse diferencial, a Kavod abre a possibilidade de qualquer pessoa física ou jurídica financiar diretamente pequenas e médias empresas que buscam capital para expandir seus negócios, gerir capital de giro ou trocar uma dívida mais cara por outra mais barata, por exemplo.

“Incluímos garantias reais em 100% em suas operações. Elas são dadas pelas empresas, que podem ser recebíveis de cartão de crédito, veículos ou imóveis - conforme a disponibilidade e nível de risco da empresa que busca o aporte. Por isso, o risco é mitigado em relação a outras plataformas do mercado. A rentabilidade é mais do que o dobro do que a oferecida pelos bancos, mas o investimento não é duas vezes mais arriscado”, explica o fundador e CMO Renato Douek.

Caso a empresa não pague o empréstimo, a Kavod Lending faz a cobrança em nome dos investidores e não cobra taxas extras por esse serviço. “Esse é nosso compromisso, pois o negócio deve ser bom para todos: a empresa tem que pagar menos pelo empréstimo e o investidor, ganhar mais com o aporte, evitando o prejuízo”, salienta Neufeld.

Para as empresas, o negócio é mais vantajoso, pois o custo do financiamento é a partir de 1,1% ao mês e o prazo para pagamento, de até 24 meses.

Fonte: Da Redação