Home       Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018

Especialistas e empresas discutem como se adaptar às leis de proteção de dados

Considerada um novo marco legal para a privacidade no Brasil, a Lei Geral de Proteção de Dados será o tema de um fórum que a Cantarino Brasileiro realizará no dia 29 de novembro, de 9 às 18 horas, no Cubo (Alameda Vicente Pizon, 54, 1º andar, Vila Olímpia, São Paulo).

Promovido em parceria com a Nice, o evento reunirá especialistas renomados no mercado brasileiro para abordar como funciona a nova lei, como atuar em sinergia com a regulamentação europeia GDPR, como as empresas e startups devem agir no novo cenário, aspectos jurídicos e éticos, novas exigências legais e o papel da segurança cibernética para garantir a proteção dos dados das empresas e pessoas físicas.

Um dos principais objetivos do “Fórum Brasileiro de Proteção de Dados” é discutir os impactos práticos da nova regulamentação em diversos setores, tais como mercado financeiro, saúde, tecnologia e varejo. “Também queremos que seja um momento rico para que as empresas debatam a melhor forma de se adequarem à nova lei dentro do prazo estipulado, ou seja, até fevereiro de 2020”, afirma a curadora do evento, Regina Crespo.

Já confirmaram presença como palestrantes Bruno Feigelson (CEO do Sem Processo e head da Future Law), Fernanda Nones (gerente de implementação da Resultados Digitais), Flavia Mitri (diretora de privacidade do Uber para a América Latina), Renato Opice Blum (coordenador dos cursos de direito digital e proteção de dados do Insper) e Marcel Leonardi (consultor da Pinheiro Neto Advogados).

“A Lei Geral de Proteção de Dados representa uma mudança de paradigma no setor privado brasileiro, estabelecendo normas que têm como objetivo proteger a privacidade do cidadão e fomentar a inovação, gerando novas maneiras de fazer negócios com segurança jurídica”, ressalta Leonardi, consultor na prática de tecnologia, proteção de dados e privacidade.

Bacharel, mestre e doutor em direito pela USP e pós-doutor pela Berkeley Law, ele acaba de completar um ciclo profissional no Google, onde colaborou intensamente na elaboração do Marco Civil da Internet e da Lei Geral de Proteção de Dados. Também atuou em questões de políticas públicas nos mais variados assuntos do setor de tecnologia e Internet. Especializado em proteção de dados, Leonardi é professor da FGVLaw desde 2005.

Para André Fernandes, gerente de engenharia de soluções na Nice, o setor de atendimento ao cliente será bastante impactado pela nova Lei de Proteção de Dados. Por isso, é importante que as empresas já comecem a se adaptar para que não sofram sanções aplicáveis após o prazo de implementação.

“Geralmente, grandes instituições já têm algum tipo de ação de compliance e possuem mais facilidade para se adequar ao novo cenário. Já as empresas menores terão que se estruturar de maneira mais profunda para atender às exigências do governo”, complementa o executivo da Nice.

De acordo com a companhia, a tecnologia será uma grande aliada dos setores que precisam se adequar à LGPD, pois colabora com a captura, retenção, identificação e recuperação de todas as interações com clientes – de qualquer canal –, de acordo com as diretrizes e regulamentações específicas.

“Quanto antes as empresas conhecerem e optarem pela tecnologia que mais se encaixa em suas necessidades, menos riscos futuros de multas e negativações por parte dos clientes”, finaliza André Fernandes.

Os leitores do Fintechs Press – que apoia o evento como “Parceiro de Mídia” – têm 10% de desconto no valor da inscrição, que pode ser feita AQUI.

Sobre a Cantarino Brasileiro

Com 14 anos de experiência no mercado, a Cantarino Brasileiro é uma tradicional empresa de marketing e comunicação focada nos mercados financeiro e de meios de pagamento. Seu objetivo é promover a aproximação entre empresas e manter o mercado atualizado sobre as tendências que regem o setor por meio de eventos, treinamentos, seminários, publicações, consultoria e relatórios setoriais.

Fonte: Cantarino Brasileiro